quarta-feira, 11 de junho de 2014

Apenas um Grão de Areia



Como referência: Gen.13:16 e Heb.11:12


O "DESIGREJADO" possui várias analogias...
- a ovelha doente que precisa das outras por perto para ser curada;
- a brasa que só reacende se tiver em contato com o braseiro...
Tantas e tantas analogias.
Mas aqui me permitam dizer mais uma:

"UM GRÃO DE AREIA LONGE DA PRAIA".

Sim. O grão isolado, em qualquer lugar, ele incomoda.
Na comida é dado como insalubridade.
Na boca, quebra os dentes ou arranha a garganta. (Prov.20:17)
Nos olhos, é um insuportável cisco.
No chão, é apenas sujeira a varrer.
No tapete, algo a ser batido.

O grão de areia carrega as mesmas propriedades dos outros grãos, e estes, da Terra, e do Sol, e de asteroides... e de tudo o que o Universo tem o grão de areia também tem.
O grão distante e seco continua só e não amalgama com os outros grãos. Enquanto aqueles molhados na praia, com a água do Espírito, faz com que outros grãos fiquem agarradinhos nele.
Gruda tanto que nem batendo muito saem todos, só com bastante água. Ou seja, com mais Espírito!

Mas o grão desejou se reservar e ficar longe da praia.
E uma coisa que o grão de areia imagina, é que a água do mar pode ser revolta, pode se poluir com algas e cascalhos durante a ressaca, homens podem pisar e marcar a areia, o vento pode levar montes de você e separar grãos que ficaram juntos há anos;
alguns grãos se sobressaem e são expostos ao calor do Sol, mas outros ficam fundos, frios e úmidos.
E o grão não gostou dessas condições e preferiu sair da praia!

Mas, grão de areia, te peço:
Lembre dos castelos que famílias faziam de ti, mesmo sendo mínimo, você, junto a outros, fazia parte de um sonho de criança. Talvez só falte você para terminar um lindo castelo!
Lembre da canção que o mar fazia junto de ti. Afinal, as ondas eram as mãos e a praia o cajón.
Lembre que pequenos crustáceos faziam morada em ti. Mas nunca sozinho, você precisa ser "praia".
O grão solitário não é repouso. Mas na praia, como um pequeno monte debaixo da toalha se torna um confortável travesseiro.
O grão sozinho é anônimo! Mas na praia ele recebe um nome: Praia Grande, Itaúna, Trindade, Ipanema, Jericoacoara, do Forte... Copacabana!
Ao longe os navegantes avistam o conjunto, e não você.

Foi isso o que mais te doeu, nobre grão de areia?

Não se importe com a tempestade ou com o mau odor dos peixes mortos e das tóxicas algas secas, até a mais bela praia está sujeita à sujeiras e poluição. 
Você é um fragmento de rocha. E como rocha você é poeira das estrelas!

Alguns grãos de areia foragidos se encontraram com outros grãos e acreditam piamente que formaram uma nova praia. Puramente artificial, não perceberam que são um "Piscinão de Ramos".

Volte para a praia! Vá se molhar um pouco com o misterioso, bom e velho mar!
Faça parte da sinfonia oceânica.

Não há lugar igual a PRAIA!

Alexandre Monsores - 11 de junho de 2014 - membro da praia ADEQ.




5 comentários:

  1. Apesar de terem tentado me tirar da praia.. eu ainda permaneço aqui!!

    ResponderExcluir
  2. Existem cristais raros em meio aos grãos. Pode até haver peneira, mas os valiosos Deus faz permanecer.

    ResponderExcluir